sábado, 1 de setembro de 2007

O Rapaz de Cotão (2ª Parte)


Façam os testes e tragam resultados!
E os médicos olhavam-no com admiração.
Se todos os cuidados foram tomados,
De onde saiu esta aberração?

E foi uma descoberta de pasmar!
Que o Rapaz de Cotão era então,
Fruto de estranho e bizarro amar
Da cópula que lhe ditou a concepção.

A mãe chorava disposta a confessar
A paixão que a prendeu como num nó,
A relação em que se deixou embrenhar
Imprudentemente com o aspirador de pó.

A revelação o pai acatou com paciência.
A sua culpa era também evidente:
Anos e anos de falta de assistência
E a esposa entregue ao desejo demente.

7 comentários:

alf disse...

Nos confins da minha memória existe uma vaga lembrança de um conto infantil sobre um menino de cotão; mas não me lembro do conto (nem sei se a lembrança vem do passado ou do futuro, a minha cabeça começa a perder o eixo dos tempos com tanta viagem ao futuro)

Também não estou a ver como é que vais desembrulhar-te aqui.Mas certamente que imaginação não te falta pelo que já vimos

Para já, está muito estimulante... fico a aguardar o próximo post

Cadinho RoCo disse...

Fantástica revelação.
Cadinho RoCo

Iharah disse...

Alf, se te lembrares do livro diz. Não vá eu andar a plagiar sem saber :P!
O Rapaz de Cotão apanhou-me na praia depois de ler "A Morte Melancólica do Rapaz Ostra e outras Estórias" (Antígona)do Tim Burton que comprei numa feira do livro. Encantei-me pelo Rapaz Robô e nasceu o Rapaz de Cotão.
Recomendo-vos vivamente este livro, principalmente porque a ilustração é fabulosa!!

Bom Domingo!!

bruno cunha disse...

acho que sei que livro é esse, já o li mas não era meu...

;)

Carlota disse...

Eu tenho esse livro, mas em versão bilingue (original e italiano)! Tal como a ihara, também recomendo quer pelos contos quer pela ilustração :)

Muitos beijinhos*

alf disse...

Tenho de questionar longe essa memória do menino de cotão; entretanto encontrei isto na net:

http://1xis2hs.blogspot.com/2005/05/menino-de-coto.html

Não estás a plagiar nada, a história que tão curiosamente poetisas é tua, apenas a personagem terá já tido outras existências - mas, se calhar, és a primeira a contar a verdadeira estória do menino de cotão...

Carlota disse...

E com esta história do livro do Tim Burton esqueci-me do essencial: Parabéns, iharah. Gostei muito do conto do menino de cotão :)