terça-feira, 31 de julho de 2007

Livro de férias

Nas minhas frias férias por terras do Norte de Portugal, roubei 1 livro à minha mesa de cabeceira e levei-o comigo. Já o tinha comprado há mais de um ano mas ainda não tinha tido disponibilidade para o ler. O livro chama-se A Sombra do Vento, do catalão Carlos Ruiz Záfon (editado em Portugal pela D. Quixote). Gostei do livro, de todo seu intricado suspense mas aqui e ali fui acometido por uma espécie de desconforto que não consigo explicar bem. A minha mãe disse-me que o tal livro é um drama de faca e alguidar (e até certo ponto é) mas mesmo assim gostei dele, apesar do tal estranho desconforto.
Regressei de férias e os meus livros continuam a empilhar-se na minha mesa de cabeceira. Está lá 1 novinho em folha. É o Em Busca do Carneiro Selvagem, do japonês Haruki Murakami (editado pela Casa das Letras). Em breve começarei a lê-lo (entremeado com outros livros, com o meu blog e com o meu Agosto desempregado). Depois darei a minha opinião.
Até ao próximo agito!

2 comentários:

clara disse...

Comecei a ler "A Sombra do Vento" há dois dias! Um perigo, meus amigos! Devia dizer na contracapa: "Desaconselha-se a sua leitura na cama!". É que adormeci e levei com o calhamaço na cara!
É verdade! Por enquanto foi o único desconforto que senti ao lê-lo.
De que desconforto falas tu, Francisco?

bruno cunha disse...

boa pergunta, essa a do desconforto...
é que achei o livro realmente bom mas ao mesmo tempo, aqui e ali, pareceu-me algo frágil e artificial, talvez graças ao seu enredo tão intricado e sólido (sim, eu sei que me estou a contradizer) que dá ao livro 1 certo carácter de inverosimilhança (que raio de palavra!)...
mas se calhar o meu desconforto foi causado pelo facto de que algumas situações no livro me deixaram perplexo comigo mesmo, como se eu pudesse fazer parte de uma história que me engoliria, sem que eu tivesse controlo nela...
enfim, estou a delirar, deixa...
LOL